CASACOR Rio 2019

FICHA TÉCNICA

Onde?

Rio de Janeiro

Status

Concluído

Início do Projeto

XXXXX

Conslusão

XXXXX

Área do Projeto

XXXXX

Equipe

XXXXX

LAO Design e Plantar Ideias celebram a vida ao ar livre na CASACOR RIO

Cores suaves, trançados de cordas e fitas para deitar, pular, subir… chuvas de tecidos, para brincar com o vento… esses são apenas alguns dos elementos do espaço PORTODOSNÓS, assinado pelo designer Lao Napolitano, da LAO Design, em parceria com os arquitetos Luciana Pitombo e Felipe Stracci, da Plantar Ideias, na CASACOR Rio. A mostra acontece de 20 de agosto a 29 de setembro, no histórico edifício Touring, na Avenida Rodrigues Alves, 10 – Praça Mauá, no centro da cidade.

 

De acordo com Napolitano, o ambiente, que ocupa cerca de 300 metros quadrados da área externa, tem o desafio de oferecer experiências lúdicas para pessoas de todas as idades. “Nossa ideia foi criar um lugar que exaltasse a vida ao ar livre – estamos à beira da casa, à beira da praça, à beira do mar, soltos ao vento, no coração do Rio de Janeiro”, justifica. “Não poderia ser diferente”, completa.

 

A fonte de inspiração, diz o designer, “foi o estilo de vida carioca, marcado pela informalidade e pelo jeito caloroso e afetivo de viver e de se relacionar”. “É um privilégio para nós, estrearmos na versão carioca da mostra, cercados de joias da arquitetura, como o próprio Touring, o Museu do Amanhã e o Museu de Arte do Rio”, comemora o trio Lao, Luciana e Felipe.

 

O projeto é formado por um conjunto de áreas de convivência. Entre elas, há uma série de morrotes flexíveis, feitos de borrachas oriundas de pneus de carros, desenhados pelos dois escritórios, especialmente para a ocasião. Deles, saem tubos de aço que servem de suporte para uma “cama de gato”, onde a criançada pode pular, pendurar-se e inventar as próprias brincadeiras. 

 

Casinhas metálicas vazadas, criadas pela EKF Arquitetura e LAO Design, ficam espalhadas pelo jardim e servem de apoio para uma infinidade de usos. Em algumas, há redes de descanso, um trançado de cordas para relaxar e bancos e mesa. Nos tetos de todas elas, recortes de tecidos, reaproveitados da indústria cenográfica, “brincam” com o vento.

 

Merece destaque o Goiabá, um brinquedo para playground da LAO, produzido com galhos de árvores da floresta amazônica, que sobram do manejo sustentável. “Esse material representa um terço de uma árvore, e é abandonado na mata, porque a indústria tradicional não consegue absorver, por causa das tortuosidades”, explica Napolitano.

Projetado para crianças de até 3 anos de idade, o Goiabá tem pisos em vários níveis, miniparede de escalada e um escorregador com estrutura de madeira engenheirada, também conhecida como CLT (sigla em inglês para Madeira Laminada Cruzada).

Send this to a friend