A LAO

Empresa especializada no desenvolvimento de projetos e produtos para o lazer, a prática de esportes e a convivência em áreas externas, como praças, parques e jardins, e internas, como shoppings, aeroportos, escritórios, ginásios, estádios e arenas.

Missão

Criar ideias, produtos e serviços que colaborem para a educação e o desenvolvimento das pessoas. Que incentivem a convivência, que despertem a cidadania. Que valorizem o respeito e a diversidade. De forma lúdica, inovadora e sustentável.

Visão

Acreditamos num mundo alegre e solidário, onde todas as pessoas de todas as idades tenham mais tempo e espaço para brincar, como parte fundamental de seu desenvolvimento ao longo da vida.

Valores

Paixão, Inovação, Pluralidade, Coerência e Colaboração.

Como fazemos isso?

Nossos produtos são desenhados para incentivar a conversa, o encontro e a reflexão buscando, em cada projeto, traduzir a cultura e o estilo de vida de cada comunidade.

Design

Nossa inspiração vem da cultura e identidade brasileiras, com valorização do design autoral e artesanato regional.

Materiais

Desenvolvemos produtos com materiais de baixo impacto ambiental.

Processos

Utilizamos soluções que agregam alto valor social, ambiental e tecnológico, através de processos artesanais e industriais.

Linha do Tempo

Tudo começou por volta de 1950, quando o pequeno José Carlos, que tinha lá seus 8 anos, ganhou dos pais o cobiçado Meccano, um brinquedo inglês formado por vigas metálicas, chapas, rodas, engrenagens, parafusos e porcas, com os quais se podia criar uma infinidade de coisas. Era uma febre entre a criançada de São Paulo e do mundo todo.
Aquele estojo – que guardaria por toda a vida – fez o menino imaginar brinquedos mirabolantes, brincar de montá-los e, depois, vê-los diante dos seus olhos. Quis, então, dar novas formas ao que conhecia e a inventar engenhocas, que poderiam resolver imbróglios antigos de gente grande. Nunca mais abandonaria a jornada:

1965

José Carlos Napolitano ingressa no curso de Engenharia Industrial Química, da Faculdade de Engenharia Industrial – FEI, em São Bernardo do Campo (SP).

1969

No último ano do curso, Napolitano entra para o Departamento de Estudo e Pesquisa de Veículos – DEPV da FEI. Na ocasião, estavam em andamento os protótipos de um veículo anfíbio, o FEI X1, e um overcraft , o FEI X2. Participa, do começo ao fim, do trabalho seguinte – o FEI X3 – incialmente batizado de Lavínia, em homenagem a Lavínia Rudge Ramos Gomes, esposa do então prefeito de São Bernardo do Campo, Lauro Gomes de Almeida.

1970

O superesportivo FEI X3 é apresentado no 7º Salão do Automóvel de São Paulo, evento que inaugura o Parque do Anhembi. A Chrysler do Brasil, que havia cedido os componentes mecânicos do protótipo (motor e câmbio) e acompanhado o projeto, convida a equipe para uma espécie de joint venture, visando a comercialização do modelo nos Estados Unidos. 

A oferta é recusada pela FEI, que alegava ter recebido verbas do Governo Federal, através do Ministério de Indústria e Comércio, para que o grupo desenvolvesse um projeto mais ambicioso – um trem de alta velocidade, que seria batizado de TALAV (Trem Aerodinâmico Leve de Alta Velocidade).

1972

O TELAV é apresentado no Feira Brasileira de Exportações, a Brasil Export 72, atraindo curiosidade de prefeitos, governadores, ministros e presidente da República. O protótipo tem escala natural, com carenagem definitiva e funcionamento inclusive da sustentação, em colchão de ar. 

A próxima etapa de estudos seria de testes de velocidade e frenagem. Propostas para continuação destes trabalhos são oferecidas, inclusive da Marinha do Brasil, mas são recusadas sob a alegação de que iriam começar a desenvolver um projeto mais ousado, chamado Cidade Delta.

1973

Incomodados com a recusas de concretização e comercialização dos projetos, Napolitano e quatro colegas deixam o DEPV e abrem a Pacta Engenharia. Pouco tempo depois, a sociedade se desfaz e outra começa com Heitor Fragoso, outro colega dos tempos de faculdade. Desta época, destaca-se o projeto de arrojadas arquibancadas retráteis para o Ginásio do Ibirapuera. Inéditas no Brasil, com 18 módulos de 4,5 metros de largura e 14 lances, não chegaram a ser instaladas. Na etapa final – de montagem – os pagamentos foram suspensos e o trabalho e material se perderam.

1974

A Secretaria de Educação Municipal lança um desafio à equipe: solicita um playground que rompa a barreira secular desgastante do gira-gira, vai-e-volta, sobe-e-desce, escorrega etc. Desejava algo impactante e inteligente, que ajudasse no desenvolvimento social, intelectual e motor das crianças. 

As pesquisas levam à madeira como principal matéria-prima, em vez de tubos e chapas de aço e plástico, devido à estética e resistência às intempéries; consultas a pedagogos e fisioterapeutas mostram o caminho para o design.

1975

A Pacta é convidada pela Prefeitura de São Paulo para criar playgrounds dentro de um parque, que seria inaugurado no Tatuapé (atual Centro Esportivo e Recreativo do Trabalhador – CERET). O projeto ganha tanta repercussão na mídia que faz com que a empresa se torne, da noite para o dia, referência na produção de playgrounds.

1976

A Pacta ganha novo endereço, um local maior, com galpão coberto, onde havia funcionado uma oficina mecânica, ideal para os trabalhos de usinagem e pré-montagem dos elementos, na Rua Santa Justina – Vila Olímpia.

1980

Muda-se novamente. Desta vez, para uma área de 25 mil metros quadrados, em Itirapina, no interior de São Paulo.

1998

Passados 25 anos, Heitor Fragoso resolve buscar outros caminhos. Sozinho, Napolitano leva para empresa para perto de casa, em Cotia (SP). Lao Napolitano, recém-formado em engenharia civil, segue trabalhando em construtoras e escritórios de projetos de usinas hidrelétricas.

1999

O espírito empreendedor, herdado do pai, começa a falar mais alto e Lao decide abrir uma empresa de Internet, juntamente com cinco colegas de faculdade. Incentivado pelo pai, participa de um workshop de empreendedorismo, oferecido pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas – Sebrae.

2000

Lao decide se juntar ao pai na Pacta Playgrounds. Neste mesmo ano, a empresa fornece as arquibancadas retráteis do Sesc Araraquara, no interior de São Paulo, mais de duas décadas depois de o projeto do Ginásio do Ibirapuera ter sido concebido e a obra abandonada.

2002

A Pacta desenvolve um mirante acessível em Ribeirão Pires (SP), uma obra toda de madeira com 12 metros de altura, que interliga a Secretaria do Meio Ambiente ao parque vizinho, por meio de uma passarela sobre a rua que os separa.

2003

Napolitano se aposenta. Lao toma a dianteira e resolve inaugurar um novo momento da empresa, lançando a marca LAO, que agrega sustentabilidade ao consagrado design. Não deixa de utilizar eucalipto, mas passa a estudar diferentes tipos de madeiras e a priorizar matérias-primas certificadas, recicladas e recicláveis. 

Neste mesmo ano, a LAO é convidada para desenhar e produzir os playgrounds e mobiliário da Península, um sub-bairro ecológico, localizado na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro (RJ), projetado pelo arquiteto-paisagista Fernando Chacel, a pedido da incorporadora e construtora Carvalho Hosken.

2004

Participa da Campanha do Desarmamento, do Governo Federal, com a criação de brinquedos para playgrounds, feitos com o aço das armas entregues pela população e instalados em bairros periféricos de São Paulo e Rio de Janeiro. No mesmo ano, fornece os brinquedos do Parque do Gato, uma reurbanização da Favela do Gato, na capital paulista, projetada pelo arquiteto-paisagista Raul Pereira.

2005

Neste ano, dois projetos se destacaram: a trilha suspensa do Jardim Botânico de São Paulo, a Trilha da Nascente, que tem por objetivo evitar o pisoteamento da mata nativa e possibilitar o acesso de pessoas com deficiência e mobilidade reduzida à nascente do córrego Pirarungáua, que forma o Rio Ipiranga; a sala de aula externa da Escola Ágora, que permite que os estudantes tenham acesso à mata do entorno.

2006

Inauguração da sede, em Cotia (SP). A arquitetura do escritório remete às já famosas casinhas suspensas desenvolvidas pela empresa. Toda a construção, incluindo o galpão da fábrica, leva o conceito da sustentabilidade ao pé da letra: madeira de reuso, telhas recicladas pós-consumo, adobe nas paredes são alguns dos materiais aplicados na obra, que conta também com estação de tratamento de esgoto (ETE). O ano é também marcado pela criação de um playground inclusivo, desenvolvido para o Parque Villa-Lobos, com peças inspiradas no compositor.

2007

A LAO ganha a concorrência entre diversas empresas estrangeiras para fornecer as arquibancadas retráteis da Arena Multiuso, no Rio de Janeiro (RJ), palco dos jogos de basquete e ginástica olímpica, nos Jogos Pan-Americanos.

2008

O ano é marcado por grandes conquistas: abertura de filial no Rio de Janeiro; participa da mostra CAD Casa, Arte & Design, em São Paulo, com o desenvolvimento de brinquedos para o espaço da arquiteta Idália Daudt.

2009

Participa da CASACOR pela primeira vez, com a criação de brinquedos para o espaço do arquiteto-paisagista Marcelo Faisal; expõe obras no Viva a Mata, evento anual promovido pela Fundação SOS Mata Atlântica.

2010

Desenvolve o Forró, para o Parque do Ibirapuera, um brinquedo gigante e acessível, criado com a consultoria técnica dos profissionais do Lar Escola São Francisco (LESF).

2014

Nasce o projeto social Anna Laura Parque para Todos, o ALPAPATO, que cria em várias cidades do Brasil espaços estruturados com recursos lúdicos, que proporcionam alegria, integração e desafios às crianças com ou sem deficiência. A LAO é responsável pela criação e seleção dos equipamentos acessíveis a serem aplicados nos parques.

2015

Exposição de produtos acessíveis na Feira Internacional de Tecnologias em Reabilitação – Reatech, a convite da Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência, da Prefeitura e São Paulo; participação na Bienal Brasileira de Design, com o banco acessível Gafanhoto.

2016

Abertura da primeira loja-conceito da marca, no shopping Catarina Fashion Outlet, em São Roque (SP).

2017

Assina o espaço Miragem, na CASACOR SP 2017, em parceria com escritório Plantar Ideias.

2018

Muda-se para shopping Square Open Mall, em Cotia (SP), e instala um parque com brinquedos da marca em frente ao escritório, para o público “degustar”; em parceria a Zoom Arquitetura, assina o espaço Calçada de Todas as Cores, na CASACOR SP, que leva o 1º lugar no Prêmio IAB SP 2018, na categoria Arquitetura Efêmera, e o 2º lugar Prêmio Casa 2018, categoria Sustentabilidade.

Send this to a friend